Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Desmistificando o Sensoriamento Remoto

Dica de Leitura de Artigo: A detecção remota, conhecida mais popularmente como sensoriamento remoto tem alcançado ao mesmo tempo uma massificação em sua utilização e um nível tecnológico sem precedentes.

Você gostaria de conhecer mais de perto esta Geotecnologia tão empolgante? Esta matéria destacará dois meios de fazer isso. Vamos juntos desmistificar o Sensoriamento Remoto.

1. CONHECER OS CONCEITOS

Esse é um tópico que sempre volto a comentar: A importância de se compreender bem os conceitos (princípios físicos e outros fundamentos científicos) relacionados com a tecnologia.

Para tal, uma dica é ler bons livros, inclusive e-books, sobre o tema. Acesse nos links abaixo alguns materiais que poderão lhe ajudar neste sentido.

Cado você tenha alguma dica de leitura relacionada com Sensoriamento Remoto e que não foi mencionada na lista acima, não exite de deixar sua sugestão nos comentários.

2. ARTIGO PUBLICADO NA FOSSGIS BRASIL

No quarto número da Revista FOSSGIS Brasil (pp. 38-42) há uma matéria que aborda diversos tópicos sobre Sensoriamento Remoto que você poderá achar interessante. A imagem abaixo está incluída no artigo.

Composição colorida

O objetivo do artigo não é explicar cada aspecto conceitual relacionado ao Sensoriamento Remoto, nem isso seria possível em vista da grande abrangência desta Geotecnologia. Ele se concentra nos seguintes pontos:

  • O que é sensoriamento remoto;
  • Dúvidas e confusões comuns sobre este tema;
  • Aplicações em projetos de Geoprocessamento;
  • Softwares livres e sensoriamento remoto.

Apenas a título de exemplo, no artigo você poderá conferir uma breve consideração sobre qual é o melhor satélite e diversas referências de conteúdo relevante sobre teledetecção. Para fazer o download da revista no formato PDF, clique no link a seguir:

Claro, não deixe de ler as outras matérias da Revista. Há um artigo, também de minha autoria, sobre o software Spring, do INPE, na coluna Desktop GIS.

Agradeço se deixarem seus comentários sobre o que acharam desta edição da Revista e do que nela foi publicado.

Assine nosso FeedAssine nosso Feed e receba nossas atualizações por e-mail. Curta nossa página no Facebook [PortalClickGeo] e siga nosso Twitter [@ClickGeo] para continuar atualizado sobre o Mundo das Geotecnologias.

]]>

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Receba novidades

Junte-se a milhares de pessoas que recebem em primeira mão todas as novidades